Wednesday, May 23, 2012

Obrigado Kainever


Estou a tomar um comprimido todas as noites chamado Kainever. Nome do composto em si, estazolam. Suposto curar insónia. São seis e meia da manhã e não se pode dizer que acordei cedo, mas que acordei cedo demais, às cinco e meia, quatro horas e meia depois de adormecer. Foi uma decisão difícil a de me levantar e pegar no computador para vir escrever. Tive que atravessar o quarto e as minha pernas estão mortas – a palavra que os escritores usam sempre é “torpor” e é exactamente o que é. É o Kainever, e eu sei, que me amolece os músculos e sempre que acordo a gravidade duplicou, sair da cama é duplamente complicado e sinto que vou desfalecer no chão do quarto sempre que acordo e preciso de me levantar. Kainever, devias estar a funcionar. Há cerca de duas semanas que não tenho uma noite bem dormida. Durmo demais e nessas demasiadas horas em que durmo, durmo de menos. Acordo de duas em duas horas porque os sonhos que tenho são demasiado absurdos, ao ponto em que desenvolvi a capacidade de me aperceber, durante o sonho, do ridículo das situações em que me encontro. Às vezes é o absurdo que me alerta para que estou provavelmente a sonhar, às vezes é o facto de estar tudo a correr tão mal e eu estar em tal pânico que tenho simplesmente esperança de que esteja deitado no meu quarto. De qualquer forma, aprendi a dizer-me a mim mesmo em sonho que “Espera, isto é bem capaz de ser um sonho” e abrir os olhos para ver o tecto do meu quarto, para sentir a cama debaixo de mim, o edredão por cima, e sentir a tensão aliviar outra vez até aos níveis normais. Kainever, o que é que estás a fazer? Após quatro horas disto o normal é não conseguir dormir mais. Sei-o quando acordo, imediatamente, que me esperam horas a rebolar na cama a perguntar ao ar porque raio é que não adormeço. Porque quando se acorda a meio da noite, se é para voltar a dormir, é em meio minuto – nunca realmente se acorda e muitas vezes é um companheiro que nos diz “Não te lembras de acordar a meio da noite? Até falaste comigo” e maior parte das vezes não nos lembramos. Mas eu acordo com uma tonelada de consciência largada em cima da cabeça, uma tonelada de alerta e já está, olho para o relógio e sinto-me imediatamente demasiado eu, demasiado real, para voltar a dormir. Um dia uma amiga disse-me que durante todo o dia, a qualquer hora, conseguia manter três níveis de pensamento constantes e sem problema, que pensava em três coisas ao mesmo tempo. Três camadas. Também me disse recentemente, quando numa despedida online lhe desejei que dormisse bem, que “durmo sempre bem”. Pois eu, que concentro todo o meu pensamento numa camada só, chegando estes momentos em que quero voltar a adormecer, dou por mim a pensar em dormir, a pensar em escrever, a entoar repetidamente uma canção qualquer, tudo ao mesmo tempo e, como os escritores dizem sempre, a uma velocidade “vertiginosa” – lamento, não estou para procurar palavras neste momento, não às seis e quarenta e cinco da manhã quando o meu corpo parece que ainda dorme mas eu não. Obrigado Kainever.

2 comments:

  1. Kainever cria dependencia, e leva ao suicidio, eu ja passei p isso.Larga essa porra ja.

    ReplyDelete
  2. Eu tomo e nao sinto diferença nebhuma acordo varias vezes de noite , é esquisito porque o médico disse me que este medicamento é forte , nao percebo .
    Alguem me diga se isto é normal
    Obrigada

    ReplyDelete